segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

"LINDA FLOR"

Linda flor tu és, pois se não fosse
não exalaria de ti esse perfume
nem terias a pele assim tão doce
ou brilharia de ti tão forte lume.

Rosa, donzela e delicada
foi do amor que nasceste assim
como mais formosa e prendada
A flor mimosa deste meu jardim.

As outras que por aqui nasceram
não tem o fulgor deste teu brilhar
ficaram murchas, envelheceram

ao ver-te cheirosa desabrochar
com ciúme caíram e morreram
quando, por ti, fui me apaixonar.

RUI - Dez/2008

"INSÔNIA"

Nada se ouve ou se move, é a inércia
do vácuo vital da madrugada
as horas transcorrem num vazio
o tempo avança imutável e frio
pela noite da vida já cansada.

O trânsito dos segundos que se somam
um ao outro alucinadamente
são estalos do chicote que tortura
minha alma repleta de amargura
prostrada ao carrasco docilmente.

Alta madrugada, a luz está acesa
neste meu quarto, onde acordado
espero o raiar de novo dia
escrevendo esta amarga poesia
em verso melancólico e ritmado.

Segundos, minutos,...as horas passam
e se perdem, sem volta, na correnteza
levando de roldão aquela chama
que aqueceu, um dia, esta cama
mas que apagou, hoje, na incerteza.

Que versos são esses que me brotam?
em movimentos perversos desta mão
espalhando sabor amargo como fel
sobre esta folha branca de papel
em espasmos poéticos de solidão.

A insônia, no tempo, se prolonga
é a imagem refletida do tormento
gravada a fogo na memória
repetindo sempre a mesma história
nos versos que traduzem um momento.

RUI - Dez/2008

"VIAGEM DE AMOR"



Por este mar azul vou velejar
pgando um vento suave de estibordo
não tenho pressa nenhuma de chegar
não tenho ninguém a me esperar
quem eu quero, já levo a bordo.
Estamos os dois agora no convés
assistindo no horizonte o Sol se por
eu fico recostado nos teus pés
feliz, na certeza que tu és
a dona de todo o meu amor.
Uma gaivota por cima sobrevoa
testemunhando a paz desta viagem,
agora estamos aqui na proa
sob as carícias leves de uma garoa
que nos faz relaxante massagem.
Tremulando a vela, avança a embarcação!
mar a dentro, sem nenhum destino
o rumo está no nosso coração
ditado pela bússula da paixão
mostrado em letra de hino.
Vamos parar onde o amor desejar,
lançando âncora no mar profundo
mil venturas nós vamos pescar
brincando, sorrindo, vamos amar
esquecendo o resto do mundo.

RUI - Dez/2008

sábado, 20 de dezembro de 2008

"SOZINHO"

Sozinho! como um cão abandonado
pelas ruas escuras da solidão
assim é que me sinto nesta hora
em que o Sol se põe atrás da ilusão.

Sozinho! aqui neste lugar
nesta ilha de nada ao meu redor
com uma ausência vasta, sufocante
que torna minha dor ainda maior.

Sozinho! como num barco à deriva
em meio a um mar de desventura
agitado por ondas inclementes
salgadas com o sal da amargura.

Sozinho! neste deserto escaldante
à procura de um rumo, um farol
sigo trôpego, triste, em direção
às cores desbotadas do arrebol.

Sozinho! aqui no vago meu destino
onde, agora, até o Sol se recolheu
não suportando ver meu abandono
na linha do horizonte se escondeu.

Sozinho! agora na noite clara
iluminada pela luz da Lua
sinto ao meu lado, nesta caminhada
só uma luz, que certamente é tua.
RUI - Dez/2008

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

"O TEU RETRATO"

Hoje, apaguei o último lampejo de memória
que recordava, ainda, anos de suplício
para que não ficasse, de nós, nenhum restício
lembrando tua passagem em minha história.

Enfim, recebi da vida a coragem suficiente
para tomar a derradeira atitude que faltava
aquela que a lembrança ainda não deixava
insistindo em manter-te, comigo, eternamente.

Foi com lágrimas que virei esta página de dor
pois afinal foste grande em minha vida
mas, agora, tenho à frente outra avenida
onde me espera, no fim, um outro amor.

Hoje, em breve gesto e parco aparato
num momento só, que nem mesmo foi notado
extirpei-te para sempre do meu passado
pois rasguei e joguei fora o teu retrato.

RUI - Dez/2008

"VEM COMIGO!"

Vem!, vem comigo, usa a imaginação
vamos voar até o último planeta
dar cambalhotas no mundo da ilusão
e cavalgar no rabo de um cometa.

Vem!, vem comigo, até o arrebol
vamos voar por entre suas cores
brincar, jogando raios de sol
pra iluminar o mundo dos amores.

Vem!, vem comigo, por todo o Universo
vamos voar no céu estrelado
que brilha agora em nosso verso
neste poema doce e encantado.

Vem!, vem comigo, me dê a tua mão
vamos voar por este azul bonito
deixe-me entrar no teu coração
e vamos juntos até o infinito.

Vem!, vem comigo, até os pés do criador
vamos voar até um dia encontrá-lo
pedir proteção eterna ao nosso amor,
que nosso Deus possa sempre abençoá-lo.

RUI - Dez/2008

"À BEIRA DE UM BALCÃO"

Foi tu, quando?, não me perguntes, não sei!
talvez tenha sido numa noite de verão
só sei que foi à beira de um balcão
que amargurada e triste eu encontrei.

À tua frente um copo já vazio
e mais outro inerte, ainda cheio
em teu redor um ambiente alheio
ao teu estado desligado e frio.

Ao teu lado sentei-me e de inopino
busquei no teu rosto o teu olhar
e nele, então, eu pude me enxergar
como luz final do teu destino.

Pedi uma bebida e te sorri
como resposta um arremedo de sorriso
mesmo assim vi nele o Paraíso
tal o deslumbre doce que senti.

Hoje volto à beira deste balcão
no ambiente ainda alheio deste bar
unicamente pra beber e pra chorar
a nossa amarga e cruel separação!
RUI - Dez/2008

AMOR & RAZÃO

Separe as coisas direitinho
Amor, coloque no coração
e depois, com muito jeitinho
no cérebro ponha a razão.

É assim que tudo deve ser
cada um no seu cantinho
para que alma e corpo possam viver
e seguir felizes o seu caminho.

Até existe o dito popular
que com o cérebro ninguém ama
cabe ao coração amar
e a cabeça acender a chama.

É através de um olhar
que se dá a ignição
basta o cérebro comandar:
- É essa ai coração!

Ai o "relógio" fica descompassado
todo "bobo" e faceiro
e em ritmo acelerado
se "derrete" por inteiro.

Então a razão puxa o freio
do coração emocionado
usando de qualquer meio
pra acalmar o coitado.

Mas ai já não tem solução
o "reloginho" não mais obedece
não dá "bola" pra razão
e de tudo mais ele esquece.

Então, quando o amor aparece
faça logo a separação
O amor do lado que aquece
e do lado frio a razão.

RUI - Dez/2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

"VELHO POEMA

Encontrei um velho poema que fiz
rascunhado no quadro negro da memória
com ele o pequeno pedaço de "giz"
que registrou a nossa história.

história de um amor mal acabado
que foi grande e durou tão pouco
e enquanto durou foi complicado
contrariado, clandestino e louco.

Louco no seu triste itinerário
breve, porém árduo e penoso
sempre dentro de um cenário
poucas vezes maravilhoso.

Maravilhoso e amargo, ...terminou
só restou este poema, ...um rascunho
que a lembrança, guardado encontrou
escrito por meu próprio punho.

Punho, o mesmo com que escrevi
este poema triste em triste hora,
a poesia amarga que fiz para ti,
agora rasga e joga fora.

Fora, então, jogo parte da vida
pois outra "vida" eu encontrei
mais vibrante e bem mais querida
vou amá-la muito mais que te amei!
RUI - Dez/2008

domingo, 14 de dezembro de 2008

"MEU DESEJO"

Quero saciar agora os teus anseios
passear pelo teu corpo sedutor
usando para isso todos os meios
que nesta cama estão ao meu dispor.

Quero me ver em teus olhos, extasiado
sentir-me aquecido no teu calor
e, depois de tudo, ainda encantado
te olhar, de novo, com amor.

Repetir os afagos, te dar prazer
entre eles me declarar apaixonado
fazendo o jardim do éden florescer

e, quando nada falte acontecer
quero ficar contigo, já cansado
e ao teu lado, feliz, adormecer.

RUI - Dez/2008

"HINO AO AMOR"

Fechei meus olhos e imaginei-te linda
à minha frente num vestido branco
e deslumbrante imaginei-te ainda
sorrindo meiga com olhar tão franco.

Sou feliz por te imaginar tão perto
musa amada deste verso meu
a cada dia que passa, estou mais certo
que tudo que escrevo é somente teu.

É para ti que escrevo cada linha
pois é tu que me inspira o que escrever
que bom saber que tu és minha
e meus escritos, por certo, tu vai ler.

Povoas-me a imaginação continuamente
fazendo nascer palavras a teu louvor
que registro na memória docemente
como um hino que faço ao nosso amor.

RUI - Dez/2008

"AMOR SEM FIM"

Linda tu és assim exposta
nua aos meus olhos sem pudor
lânguida na cama tu te prostra
para dar e receber amor.

Olho-te com avidez e ansioso
acarinho teu corpo com desejo
cada centímetro dele é saboroso
e estremece ao contato do meu beijo.

E por horas à fio nós navegamos
no mar do amor à qualquer rumo
sem pressa um ao outro nos entregamos
em posições inéditas e sem prumo.

E depois cansados mas satisfeitos
quando já saciado nosso ardor
encostamos em nós os nossos peitos
e nossas bocas num beijo de amor.

RUI - Dez/2008

"ESTRELA MAIOR"

A luz que brilha nas estrelas
não tem tanto fulgor
à noite, quando ao vê-las
lembro o brilho do nosso amor.

O nosso amor sim, ele brilha
na minha vida é a luz
farol da minha trilha
a doce mão que me conduz.

Que me conduz com segurança
comigo de mãos dadas
somos unidos na esperança
somos almas apaixonadas.

Como reluz o nosso amor!
resplandece no Universo
traz inspiração e calor
a rima do meu verso!

Tu é o Sol da minha vida
o meu Altar-Mor
a jóia mais querida
a minha "estrela maior"
RUI - Dez/2008

"CURVAS DO AMOR"

O amor é sinuoso
é difícil e complexo
parece que não tem nexo
mas no fim é saboroso.

Sim, doce no sabor
feliz de quem provar
é certo que vai gostar
quem não gosta do amor?

Mas ele tem suas mazelas
nem tudo são flores
tem desencontros nos amores
que deixam muitas sequelas.

Sim, isso é pura verdade
é verdade isso sim
o amor, quando no fim
sempre deixa saudade.

Como dói a dor de amor
deixa a gente perdido
quando não é correspondido
Ah!, como dói essa dor!

E quando se perde um
do nada, de repente
que vazio fica na gente
é melhor não ter nenhum!

Não! não renegues o amor
para tudo tem remédio
não se entregue ao tédio
renove, dê à vida valor.

É duro, quebra a carapaça
ver o nosso "bem"
nos braços de outro alguém
mas, na vida, tudo passa.

É amigo, esse amor era teu
por certo te fez feliz
foi tudo o que tu quis
mas agora ele é meu!

Aquela que te inspirou
te inspirando sentimento
hoje vive outro momento
pois comigo se encontrou.

Nasceu então outra flor
nessa estrada sinuosa
florida mas perigosa
com muitas "curvas de amor".
RUI - Dez/2008

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

"LAGO TARUMÃ"



Belo recanto aqui em Viamão
destaque de tudo ao redor
nada é mais lindo nem maior
em encanto ou em fascinação
nem faz tão bem ao coração
que caminhar feliz pela manhã
na volta encantadora do Lago Tarumã.

O Sol se reflete nas suas águas
em deslumbrantes raios de luz
e a sua majestade então reluz
guiando os passos do caminhante com amor
na passarela envolvente em esplendor
que rica em beleza lhe circunda
neste cenário mágico que do lago oriunda.

A sua água é calma e atraente
proporciona uma vista deliciosa
mas é profunda e por isso perigosa
e merece do banhista o respeito
pois, ao contrário, será amargo o efeito
e o lago, que é doce e encantado
se turvará com mais uma alma de afogado.

Muitos tiveram ceifadas suas vidas
no feitiço destas águas encantadoras
e hoje suas almas são moradoras
e caminhantes noturnas na beleza
deste expoente único da natureza
por serem inconseqüentes esquecendo o juízo
Não caminham mais de dia neste paraíso.

Lago Tarumã da Corticeira
do mato cheiroso e natural
que lhe ornamenta a volta e afinal
lá na copa da árvore guarda o ninho
do feliz habitante, o passarinho
que canta um hino de louvor
agradecendo seu mundo com amor.

Velha Fábrica de Papelão
que transformou-se em Museu do Papel
flores naturais, cheirando a mel
que desabrocham ao redor do lago
parece que oferecem seu afago
a quem passa, a quem caminha
e sente o ambiente que lhe acarinha.

Aqui cantam muitos passarinhos
pardais, joãos-de-barro, sabiás, pombinhas
e tantas aves lindas que sozinhas
já são um monumento à vida
nessa paisagem que por mim é tão querida
onde, com a alma desopilada
faço, pela manhã, a minha caminhada.

São tantas, também, as recordações
de doces e alguns tristes momentos
que nos vêm agora aos pensamentos
nos trazendo vivos à lembrança
aguçando a nossa esperança
que os amigos que se foram não estejam ao léu
caminhem noutro lago lá no céu.

Lago Tarumã, querido companheiro
aqui me exercito, aqui eu sou feliz
aqui eu sou como sempre quis
um amante da vida, um paisagista
um defensor do verde, um ecologista
um caminhante solitário da manhã
um amante incondicional do LAGO TARUMÃ!
RUI - Dez/2008

"CORRENTE VIRTUAL"

O que será que tu fazes agora,
agora que te beijo em pensamento.
Será que pensas em mim nesta hora,
vivendo comigo este momento?

Neste instante, como sempre, te desejo
e tenho-te, irreal, aqui comigo
e agora mesmo desfruto do teu beijo
e me aconchego no teu corpo como abrigo.

Tu estás agora, aqui na minha cama,
mesmo, na verdade, não estando aqui,
é a expansão do calor da tua chama,
que nos une mesmo tu estando ai.

Mesmo sabendo que estou sozinho,
a tua presença virtual me faz sonhar.
Mesmo ausente eu tenho o teu carinho,
mesmo longe ainda posso te amar.

Ainda posso no meu sonho te abraçar.
Tudo isso no meu sonho eu consigo,
beijar teus lábios, teu corpo afagar
e depois fazer muito amor contigo.

Somos elos de uma mesma cadeia,
pois somos amantes mútuos afinal,
e o sangue que corre em nossa veia
é um só nessa corrente virtual

RUI - Dez/2008

"GRITO DO SILÊNCIO"

Olho para ti como se fosse um anjo
que dá aos meus dias uma intensa luz
um ser supremo de incalculável valor
em quem deposito tão imenso amor
que cristalino e puro, em mim reluz!
Quero gritar tu nome para que todos ouçam

para que saibam quem é minha rainha
a mulher que manda no meu dia-a-dia
aquela que me inspira toda a poesia
e que se entregou para ser só minha.

Grito então para mim mesmo
o teu amado nome, no SILÊNCIO!

RUI - Dez/2008

"TATUAGEM"

Linda a tua tatuagem
a fizeste com certeza
por isso tanta beleza
no esplendor da imagem.
Sentiste muita dor
para mostrar ao mundo
o quanto é profundo
e intenso o teu amor.
Não precisavas ter feito isso
mas no entanto tu fez
e com muita altivez
assumiste teu compromisso.
É uma tatuagem permanente
da pessoa querida
que levarás pela vida
no teu corpo eternamente.
Tu decidiste com calma
o meu nome tatuar
o teu também vou gravar
para sempre na minha alma.
RUI Dez/2008

"DELICADEZA"

A pedido da amiga poetisa MARITA no Cantinho dos Pedidos Poéticos da Comunidade CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS.

O principal tempero do amor
o que dá o ponto certo, são os carinhos
os amantes se afagam com calor
alheios ao mundo, sentem-se sozinhos.

Dá gosto ver dois amantes
expressar um ao outro os sentimentos
com carícias e olhares inflamantes
que eternizam, na vida, tais momentos.

Só quem ama e vive essa cena
sabe o que cada um tem no coração
e a forma delicada e amena
com que demonstra toda uma paixão.

Cada gesto meigo é calculado
para ter o máximo de beleza
e a entrega total do apaixonado
é feita com infinita delicadeza!

RUI - Dez/2008

"ANGÚSTIA"

Acordei sentindo uma estranha ansiedade
dessas que vêm sem nenhum motivo
uma sombra inexplicável, na realidade
que deixa o clima inseguro e aflitivo.
O quê será, meu Deus, que me aflige,
este sentimento de falta que me encosta
no coração indefinido que ainda vive
a espera, talvez, de uma resposta.
Por quê acordei assim, mal dormido
com uma sensação amarga de quem esteve
à beira de haver perdido
algo precioso, que talvez nunca teve.
Algo não está bem, eu pressinto
à minha volta vejo tudo vazio
faz calor, mas por dentro sinto
a tristeza de um estranho frio.
Não sei o que é! não sei!
só sei que sinto, que existe
talvez seja porque ontem me deitei
muito amargurado e triste.
RUI - DEZ/2008

"NASCIMENTO"

Agora, no limiar do dia
é que me vem a inspiração
sinto a presença da poesia
dentro do meu coração.
É a vida, que dormia
desde ontem no arrebol
acordando hoje, com alegria
ao primeiro raio de Sol.
Tudo é vida, é movimento
são pássaros cantando
um conjunto em segmento
com rosas desabrochando.
E eu sinto tudo vibrar
mesmo ainda no leito
vivo este limiar
com um poema no peito.
Minha cabeça que pensava
na musa da inspiração
deu a ordem que faltava
aos dedos da minha mão.
Esta segurou a caneta
e à luz do novo dia
neste papel da prancheta
fez nascer a poesia.
É o esplendor do Universo
que em doce fomento
dá vida ao meu verso
provocando seu nascimento.
RUI - Dez/2008

"CAIXINHA DE SURPRESAS"

Eu tenho uma caixinha de surpresas
a cada dia ela me mostra uma
são muito raros os dias
que vazia, não tem nenhuma.

Basta que eu abra sua tampa
e lhe faça um pedido
para que logo a seguir
seja plenamente atendido.

Mas é preciso pedir com fé
estar concentrado afinal
a caixinha só atende
pedido sentimental.

Coisas do material
ela não atende jamais
se receber um pedido assim
não funciona nunca mais.

Já lhe fiz muitos pedidos
nenhum ela negou
até os caminhos da vida
a caixinha me mostrou.

Concedeu-me a felicidade
eternizou minha alegria
tornou mais brilhante
a luz que me enfeita o dia.

Iluminou os meus versos
dando a eles emoção
colocou-me sentimento
no pulsar do coração.

Mostrou-me a luz das estrelas
não me deixando ao léu
indicando sempre o caminho
que leva a Deus lá no céu.

O interior da caixinha
é vazio, nada se vê
um dia eu pedi uma Musa
e ela me deu você.

O milagre quis entender
perguntando até a ela
e a resposta me veio à mente
é Deus que está dentro dela.

RUI - Dez/2008

HOMEM CASADO & SUTILIEZAS

A pedido da Poetisa Diná no cantinho dos pedidos poéticos da Comunidde CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS.
Uma palavra disfarçada
revela uma intenção
de uma proposta velada
na conquista de um coração.
O homem tem sutileza
para buscar o que quer
quando se fixa na beleza
deslumbrante da mulher.
se chega sutilmente
e logo se faz notar
impondo docemente
sua vontade de amar.
se insinua veladamente
de forma calculada
lançando então a semente
aos olhos da sua amada.
Esse jogo é uma delícia
jogado com sutileza
com as cartas das malícias
espalhadas por sobre a mesa.
Homem casado é jogador
pois todos jogam afinal
o solteiro é amador
o casado é profissional.
É sutil no dar as cartas
a parceira incendeia
com palavras doces e fartas
vai armando a sua teia.
Homem casado é artista
um campeão da sutileza
eu "dois toques" ele conquista
e "devora" a sua presa.
RUI - Dez/2008

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

"AMOR IMPOSSÍVEL"


Existe impossível no amor?
francamente eu não sei
na corte dos sentimentos
o amor é simplesmente o Rei!
O Rei tem que ser obedecido
é ele quem faz o reinado
faz do coração o trono
e nele fica instalado!
Obedeçam, por favor, o Rei!
deixem-no governar
para não contrariar o soberano
o único jeito é amar!
Não coloquem impossíveis
esqueçam os senões
deixem entrar o Rei
em todos os corações!
Amor impossível é utopia
de uma mente desavisada
não existe impossibilidade
para uma alma apaixonada!
O amor é próprio da alma
às leis humanas não é acessível
não há convenção que torne
um grande amor, impossível!
RUI - Dez/2008

"AMOR NO CÉU"

Dê-me a sua mão, sigamos os dois
por essa estrada longa que está por vir
deixemos a mala das discórdias e depois
acertados, no amor, vamos partir.
Vamos por essa alameda deslumbrante
que se descortina majestosa à nossa frente
sem curvas, reta e doravante
permanecendo, assim, eternamente.
Olhos bem firmados na confiança
que o amor seguirá conosco até o futuro
nos conduzindo na rota da esperança
na direção de um horizonte mais seguro.
Deixemos para trás o que ficou
levemos na viagem o necessário
como o sublime amor que nos juntou
pois dele, o coração é o relicário.
Vamos, traz somente os teus amores
vem liberta de ódio e preconceito
deixa na saída todas as tuas dores
te quero bem leve no meu peito.
Não esquece das asas para voar
nem de trazer todo o teu ardor
já perdemos tempo, vamos logo decolar
para no céu, voando, fazer amor!
RUI - Dez/2008

sábado, 29 de novembro de 2008

"ROSAS"

Que lindas flores são as rosas
perfumadas e coloridas
declamadas em muitas prosas
enfeitam as nossas vidas.
Rosas, às queria todas minhas
enfeitando os meus caminhos
mas como "algumas" rainhas
elas também têm espinhos.
Uma flor tão maravilhosa
cujo perfume é bom sentir
é também muito ardilosa
oculta o espinho pra ferir.
Rosas, como querem se expor
na clara luz dos dias
com os "poetas" vivem de amor
em suas poesias.
Rosa, eu amo essa flor
dei a uma o meu carinho
ela fingiu-se de amor
e feriu-me com seu espinho.
Eu fiquei desiludido
sofrendo de muita dor
com o coração ferido
da "picada" dessa flor.
Mas não desisto da rosas
eu às quero no meu ninho
são lindas, são deliciosas
e "muitas" não têm "espinho".
RUI - Nov/2008

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

'QUERER"

O meu olhar diz tudo que eu quero
para o teu, como se fosse um livro aberto
consegues ler os meus anseios que espero
começando por trazer-te pra bem perto.

Quero tocar com volúpia a tua mão
usufruir de ti cada segundo
rolar, para sempre, nesta paixão
por todas as camas deste mundo.

Quero eternizar, na vida, esta energia
que brota em chama de nós dois
gravá-la, conservá-la, a cada dia
e atiçá-la, ainda, bem depois.

Quero me esgotar nos teus suspiros
e me renovar em ti com muito afã
e depois de incontáveis giros
recomeçar tudo pela manhã.

Desejo-te com ansiedade, com ardor
meu olhar te diz e é sincero
toda a plenitude do teu amor
é, na vida, amor, o que mais quero.

RUI - Nov/2008

"RETORNO"

Duras palavras, as tuas, quando disse
adeus ao amor que te ofertei
implorar não evitou que tu partisse
e muito para que ficasse, eu implorei.

Olhei-te nos olhos com meiguice
e chorando aos teus pés me ajoelhei
sem vergonha, amor, quis que tu visse
que na mais triste dor eu mergulhei.

E antes que da minha vida tu saísse
com palavras duras deste ao amor um fim
e foste embora como se risse
da mágoa que deixaste em mim.

Naquele momento, em lágrimas, eu predisse
buscarás um dia o meu perdão
e falei como se tu ainda ouvisse:
- Estás levando contigo meu coração!

Hoje, passados tantos anos
tu retornas cabisbaixa para mim
e eu lembro dos amargos desenganos
mas te recebo, pois te amo mesmo assim.

RUI - Nov/2008

"CRIAÇÃO"

Seja simples, poete, faça verso
sendo direto, indiscreto, o que quiser
faça um Poema sem nenhuma "onda"
e nele, por favor, responda
existe poeta sem o amor de uma mulher?

Mas antes que tu faças o teu
antes que te venha inspiração
transformando-se em poema e seja posta
eu te dou, agora, uma resposta
não existe, é pura ilusão!

Um poeta sem o amor de uma mulher
é como o leito seco de um rio
uma pobre rosa murcha no jardim
uma vida que chegou ao fim
um coração parado, inanimado e frio.

Até Deus quando a criou, fez-se inspirado
foi o primeiro poeta e nesse dia
com um gesto de quem manda e quer
num sublime momento fez a mulher
e com ela fez também a poesia.

RUI - Nov/2008

"MINHAS ASAS"

Puxa! Que desilusão!
descobri que minhas asas eram de cera
que foram compradas em liquidação
numa pobre banca lá da feira.

Descobri que era tudo fantasia
que nada era de verdade
era um sonho irreal, uma utopia
que nunca chegaria a ser realidade.

Quem vai me inspirar agora?
talvez alguma página policial
uma notícia por ai a fora
num parco anúncio de jornal.

Onde vou buscar a inspiração
se eu ando, na vida, tão disperso
tiraram minha fonte de ilusão
calaram a melodia do meu verso.

A minha poesia se apagou
nas outras poesias que já li
o brilho que tinha acabou
assim como meu amor por ti.

Eram de cera minhas asas, então
só agora sei o porquê
o meu vôo do amor foi ficção
minhas asas, enfim, eram você.

RUI - Nov/2008

COM VOCÊ

Pedido da Poetisa BETÂNIA, no cantinho dos pedidos poéticos da Comunidade CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS
Com você do meu lado eu fico em paz
com meu mundo em perfeita sintonia
tu és a musa amada que sempre traz
o verso certo para minha poesia.
Com você, amor, já não sinto solidão
minha alma de tristeza já não chora
e os fantasmas que me habitavam o coração
desde que chegaste foram embora.
Com você reacendeu a minha chama
que antes, em mim, jazia apagada
hoje, tem calor na minha cama
minha vida, no amor, está fundada.
Com você eu estou no Paraíso
tu trouxe a alegria que eu precisava
e a luz brilhante do teu sorriso
veio renovar a minha que não brilhava.
Com você, enfim, eu me encontrei
tenho certeza de quem eu sou
de onde vim, amor, agora eu sei
e em que rumo certo agora eu vou.
RUI - Nov/2008

"DÚVIDAS"

Já nem tenho assim tanta certeza
do que sou, quanto menos do que tu és
é tanta desculpa mal urdida
que já nem sei na vida
onde coloco os meus pés.

Parece que caio num abismo
quando a mudar o passo me proponho
não sei o que está à minha frente
pode ser que eu veja de repente
o meu mundo virar um sonho.

Mas um sonho já é, não passa disso
sou sonâmbulo que caminha insegurança
numa quimera cujo enredo
parece uma história de brinquedo
saída de uma mente de criança.

Que estranha sensação esta que sinto
de sob meus pés não ter um chão
parece que perco o meu juízo
quando antevejo o paraíso
e encontro somente frustração.

São "dúvidas" na minha madrugada
o que será de mim eu já não sei
tenho medo de sair da linha
e descobrir que não és minha rainha
e que nem mesmo sou teu rei.

Convença-me, por favor, que são apenas
"dúvidas" que me envolvem o coração
preciso sentir o teu carinho
que ao meu lado estás no meu caminho
segurando, na vida, a minha mão.

RUI - Nov/2008

"VIDA FUTURA"

A pedido da Poetisa MAZEH, na Comunidade CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS, tópico Cantinho dos Pedidos Poéticos.
A Terra será um oásis no Universo
de todo o cosmos será o lugar mais puro
todos os males atuais serão extirpados
será radiante e feliz o nosso futuro.
O céu será azul, não terá poluição
Violência! essa palavra será banida
o amor sim! este terá lugar no coração.
Ah! como será linda nossa "vida futura".
Fome! nunca mais o homem sentirá
todos terão uma satisfatória renda
não haverá mais nenhuma contenda
e a humanidade, em paz, para sempre ficará.
Drogas! disso ninguém mais vai lembrar
vamos poder andar na rua seguros
livres do perigo da bala perdida
todos acreditarão nos seus futuros.
A felicidade estará ao alcance, será plena
serão realizadas todos as utopias
qualquer um poderá ganhar a "Mega Sena"
enfim, a "Vida Futura" terá felizes dias.
Até eu que sou um poeta sonhador
o meu sonho utópico vou realizar
terei minhas asas e muito amor
que espalharei por ai no meu voar.
RUI - Nov/2008

ALMA, ENERGIA INTERIOR!

Por quê não acreditar que temos uma energia
que, da invisibilidade do anonimato nos faz pensar
comandando de dentro de nós mesmos, nossos atos
no entanto não podemos ver, sentir, nem apalpar.
Estou falando agora como se fosse eu que falasse
mas para falar sobre isso preciso raciocinar com calma
o corpo material pega a caneta e escreve
mas quem dita o conteúdo é a alma.
Então o quê sou eu? vejo um corpo no espelho!
além desta imagem só vejo ilusão
mas quem rege a sinfonia desta orquestra
cujo funcionamento harmônico beira à perfeição?
Tudo funciona nos mais ínfimos detalhes
como se fosse minuciosamente planejado
mas eu nunca planejei nada semelhante
agora mesmo estou quietinho aqui deitado.
E, no entanto, uma das minhas mãos segura uma prancheta
a outra, independente, se apossou de uma caneta
e as duas como se tivessem vida própria, lado a lado
escrevem sozinhas este texto que eu nunca tinha pensado.
Mas mãos sozinhas nunca escreveram nada
uma orquestra não toca à revelia, sem regência
tudo vem de uma fonte que nos dá vigor
a alma é a origem da nossa inteligência
ela é a nossa poderosa energia interior.

RUI - Nov/2008

CHUVA DE AMOR E POESIA

Neste instante está amanhecendo
a luz do dia está para chegar
e o Sol escondido, quase aparecendo
vem vibrante para tudo iluminar.

Ainda tem estrela no céu clarinho
o canto dos pássaros a enfeitar se presta
tudo é ternura, tudo é carinho
é a natureza que acorda em festa.

O jardim de flores enfeitado
exalando perfume no ambiente
parece que um dia lindo, imaculado
surge na vida, assim, num repente.

Tudo é pura luz que resplandece
nos quatro cantos da vida
que se ilumina então e aparece
toda enfeitada e florida.

E no entanto chove por tudo
nada detém esta chuvarada
mas é uma chuva gostosa, contudo
sublime, linda e abençoada.

É a mais linda chuva do Universo
que vem enfeitar mais o dia
chove palavras que formam verso
chove muito amor e poesia.

RUI - Nov/2008

O CANTO DA SEREIA

Agora, já é tarde, o dia finda
é contigo, ainda, que converso
um bate-papo doce que ainda
acontece na intimidade do meu verso.
Eu falo amor e por ti respondo
pois estás aqui, em minha crença
enquanto no céu o Sol se pondo
retira do cenário sua presença.
Em breve será noite, mas a Lua
envolverá nós dois com o luar
e sob o alvo da claridade sua
continuaremos, amor, a conversar.
E mais tarde, quando já no leito
fecharei meus olhos a sonhar
e tu deitarás sob o meu peito
e continuaremos então a nos amar.
Ouvindo o ruído doce do mar
com o amor nos envolvendo em sua teia
nos deixaremos atrair e encantar
pelo canto mágico da sereia.
RUI - Nov/2008

FAZ UM POEMA...

Faz um poema para mim
que eu sinta ao ler que é só meu
diz nele que é a mim que você ama
que sou eu que à noite você chama
para ser no amor todinho teu.
Faz um poema que eu sinta
nos seus versos que você me quer
que o mais bonito de todos seja
que eu possa ver que tu deseja
ser na vida minha única mulher.
Faz um poema que diga tudo
que minha alma apaixonada possa ler
e com tua voz sussurrando ao meu ouvido:
- escrevi para ti meu amor querido
tu venhas só para mim dizer.
Faz um poema e diz, amor
que me amas muito além da vida
que eu sou para ti o Universo
a inspiração única do teu verso
a tua flor mais bela e mais querida.
Faz um poema, poetando sem segredo
do amor que sentes, a grandeza
que seja de sentimento o enredo
faça versos doces e sem medo
pondo as cartas do amor por sobre a mesa.
RUI - Nov/2008

"NÓS DOIS"


Um dia, quando a rosa perfeita desabrochar
na perfeição do mais perfeito jardim
nesse dia só pra ti, amor, vou poetar
e ler os versos que escreverás só para mim.
Ninguém mais saberá que o carinho
que espalhaste nos meus dias como flores
enfeitou e perfumou o meu caminho
com o essência mais pura dos amores.
E que para tudo isso, amor, eu faça jus
eu te louvarei como Deusa que tu és
farei teu chão resplandecer de luz
para que o pises com a beleza dos teus pés.
E tu ao fim do dia me esperando
de felicidade repleta, alma plena
com voz maviosa, doce, declamando
a mensagem de amor do teu poema.
E eu, te ouvindo declamar, embevecido
o harmônico teor da tua poesia
estarei num êxtase de amor, perdido
na mais perfeita e pura alegria.
E nós dois felizes e abraçados
sairemos por nosso mundo a caminhar
enquanto anjos nos cercam pelos lados
cantando hinos para nos saudar.


RUI - Nov/2008

AMOR, SEXO E IDADES,...DIFERENÇAS.

A pedido do amigo poeta ISAÍAS GRESMÉS (Comunidade CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS, tópico Cantinho dos Pedidos Poéticos).

O amor é um sentimento único, indivisível
que vive em qualquer tempo com a mesma intensidade
procurar diferenças no amor não é plausível
mesmo em polos antagônicos de idade.
Costumamos usar a expressão "fazer amor"
é apenas um dito, talvez, sem nexo
para dar a uma função fisiológica mais valor
ou seja, misturar sentimento com sexo.
Não temos como estabelecer nenhuma diferença
entre o amor na juventude e na maturidade
mas há pessoas que acreditam que podem
fazer do amor uma outra realidade.
O amor é lindo, inimitável, é grandioso
não é apenas uma fisiológica função
o sexo pertence ao corpo, é prazeiroso
os dois juntos, só fazem bem ao coração.
Mas é só no sexo que existem diferenças
entre essas duas, distantes, faixas etárias
mas são poucas, contrariando as crenças
que se espalham por ai dizendo que são várias.
No jovem o sexo é muita imposição
ditada pelo fragor de latente juventude
no maduro o sexo é feito com devoção
baseada na experiência que se tornou virtude.
A calma e o carinho estão no sexo do maduro
o desejo voraz no do jovem está presente
o sexo na maturidade é planejado, é puro
na juventude é de ocasião e até inconsequente.
Mas a verdade é só uma, isso eu posso afirmar
é minha opinião, não tem absoluto valor
o jovem faz sexo nem sempre salutar
o maduro não faz só sexo, "faz amor"
O vigor físico faz do jovem uma máquina sexual
mas um dia, na maturidade, terá essa função enriquecida
atingirá um estágio no sexo que é normal
ai sim, fará sexo com amor por toda vida.
RUI - Nov/2008

"VALOR MAIOR"

Tudo na vida tem um preço
nada cai do céu gratuitamente
não se pode dizer, Ah eu mereço!
sem merecer, na verdade, simplesmente.

O merecimento é resultado da atitude
tomada no decorrer das situações
ai é que se vê toda a virtude
que existe nos diversos corações.

Há coração que a si mesmo atribui
muitas vezes descabido amor
quando no conteúdo vazio, nada possui
além de sentimentos sem valor.

Até com Deus tem gente que se diz
ter uma grande e estreita intimidade
mas não passa de vaidade infeliz
pois nada sabe sobre ele na verdade.

Tem pessoas que já tem o céu garantido
segundo sua própria afirmação
mesmo que sempre tenham vivido
de falsidades, falcatruas e enganação.

Todos pagaremos o preço que é devido
pelo conteúdo correto da decência
não adianta de enganos estar munido
o que vale mesmo é a nossa essência.

E foi ai, nesse mais íntimo pormenor
que observando meus valores eu vi
um que entre todos é o maior:
- Este amor imenso que sinto por ti!

RUI - Nov/2008

"MAGIA"

"Hoje eu precisava tanto que estivesses aqui
sim, aqui do meu lado, bem juntinho
adulando, me fazendo um cafuné
passando em meu cabelo o teu dedinho.
Precisava que tomasse comigo o café
fizéssemos planos juntos para a vida
envolvesse-me com teu olhar, o teu calor
e depois, num lugar qualquer, indefinido
fizesse comigo o mais puro amor.
E então, cansada, deitada no meu braço
com os olhos brilhantes de prazer
unir-te-ias a mim no mesmo abraço
e deixaríamos a vida acontecer.
Hoje, estou carente da tua companhia
preciso usar deste meu dom de escrever
agora, bem antes de clarear o dia
pois escrevendo realizo a utopia
de ver realizado no meu texto
tudo o que quero ver acontecer.
Pois nos versos mágicos deste poema
ao meu lado eu te faço aparecer!

RUI - Nov/2008

ALMA DE POETA

Energia invisível que movimenta um corpo
sem perder nunca a sua individualidade
assim é a alma humana, criação de Deus
para viver plena, feliz,...em liberdade.

Não há amarras que a prendam em cativeiro
nem leis ou censuras que a façam calar
não adianta quererem extirpar-lhe a memória
nem tolher-lhe o direito supremo de amar.

Ela própria constrói a sua história
feita de capítulos em cada vida terrena
purificando-se no fluído do amor universal
quando com outra alma amada contracena.

Alma humana, maravilhosa, divina criação
perfeição que habita todo o Universo
Deus, com certeza, quando a criou
a fez inspirado, como se fosse um verso
soprou-lhe inspiração e previu como profeta:
- Terás o supremo dom de escrever a poesia,
serás a eterna ALMA DE UM POETA!

RUI - Nov/2008

domingo, 16 de novembro de 2008

"BANHO NO RIACHO"

Riacho doce, de água cristalina
de onde sobe uma névoa de perfume
que envolve teu corpo de menina
iluminado à luz de intenso lume.

Cheirosa névoa que lenta sobe ao cume
do monte que circunda o riacho
ainda iluminado pela Lua e um vaga-lume
que se somam à luz intensa do teu facho.

E eu que escondido mais abaixo
te vejo banhar-se de natureza
envergonhado me prostro cabisbaixo
perante esse espetáculo de beleza.

E assisto a tudo na certeza
que estou vendo a candura do Paraíso
no ambiente, no riacho e na pureza
única, indescritível do teu sorriso.

Parece que me vês a desejar-te
enciumado da água que te banha
e ficas, indiferente, a banhar-te
enquanto o ciúme minha alma arranha.

Então tua mãozinha uma flor apanha
beija-a e a joga para mim
minha intimidade louca se assanha
querendo ser flor também desse jardim.

Dirijo-me para ti, trêmulo contudo
enquanto da luz do teu olhar me segue o facho
e num convite sem palavras, ...mudo
me convidas a um banho no riacho!

RUI - Nov/2008

"MINHA INTIMIDADE"

Chove agora mas não tem vento
molha a terra mansamente, de vagarinho
mas não molha o calor da minha cama
onde arde com fragor intensa chama
tornando quente e seco este meu ninho!

Mas molha sim o meu interior
provocando uma onda gigante de desejo
que me toma o corpo na extensão
parece que vai explodir-me o coração
numa ânsia louca por teu beijo!

Atiça minha fonte íntima de energia
em espasmos vibrantes de vontade
de mudar este cenário justo agora
sair por este mundo afora
e te trazer para minha intimidade!

Cai chuva!...e molha a minha alma
te confunde com a lágrima do meu peito
não há consolo nem calor para este frio
só ela pode encher este vazio
que torna triste e amargo este meu leito!

RUI - Nov/2008

"EXPERIÊNCIA"

Quero dividir contigo o meu espaço
que a ciência diz indivisível
mas quando existe amor em um abraço
dois num mesmo espaço é possível!

Mudaremos o conceito e depois
mesmo depois que virarmos pó
provaremos ao mundo que nós dois
apesar de dois, fomos um só!

No amor não existe espaço definido,
fundem-se dois corações de amantes
num só pulsar que unido
ocupa um mesmo espaço por instantes!

Instantes que se tornam existência
no amor que une dois universos
que nos torna um só na experiência
que registramos na ata destes versos.

RUI - Nov/2008

DOCE VISÃO

Eu vi as luzes do Paraíso
por trás da luz do teu olhar
eu vi por trás do teu sorriso
uma cascata de luar.

Eu vi a cor da tua alma
do teu sonho eu vi a cor
no teu desejo eu vi a calma
eu vi no teu peito amor.

Vi no teu rosto o desejo
eu vi teu sangue latejar
vi tua ânsia por um beijo
vi tua vontade de amar.

Vi a juventude que fulgura
em ti a vi tão vibrante
eu vi alegria doce e pura
de menina debutante.

Eu vi em ti a vontade
de ver a vida e viver
vi em ti a felicidade
e me senti rejuvenescer.

E te vendo, me vi também
no teu brilho refletido
me vi como sendo alguém
no teu fulgor produzido.

RUI - Nov/2008

PRECE DE AMOR

Fiz uma prece e lancei-a ao vento
que veio do sul em direção ao norte
que ressoe por lá essa minha prece
bem alto, poderosa e forte.

Que ela chegue humilde ao teu ouvido
num sopro de uma brisa mansa
como se levada por mãos macias
inocentes de uma criança.

Que a ouças como música suave
cantada ao som de um violão
que sintas nela a mensagem
que partiu daqui, do meu coração.

Que te enleves com seu conteúdo
te aqueças com o seu calor
pois nessa minha doce prece
eu só te falei de amor.

RUI - Nov/2008

O QUÊ ME RESTA?

Chove! mas é uma chuva calma
cai suavemente molhando a terra seca
de onde um perfume característico exala
envolvendo com tênue olor uma triste alma.
O quê me resta a não ser ouvir a garoa
que ritmada mente pinga lá fora
além de um sabiá que pousado ao longe
um canto de triste solidão entoa.
O quê me resta senão ouvir o passarinho
que junto com a chuva compõe uma orquestra
tocando uma melodia melancólica
que parece lembrar que estou tão sozinho.
O quê me resta senão viver a melancolia
acentuada pela chuva e o sabiá
que harmonicamente vêm anunciar
a chegada de mais um triste dia.
O quê me resta a não ser esperar
ouvindo lá fora essa doce sinfonia
por um pouquinho que seja de alegria
que virá de alguém que diz me amar
não me resta nada, a não ser esperar!

RUI - Nov/2008

ABRAÇO DE AMIGO

A amizade é o maior presente
entre todos os que se pode dar
tão rara é que unicamente
amigos puros podem trocar.

Por isso ao teu encontro sigo
pois em ti tenho firme crença
sei que me és e te sou amigo
te direi isso na tua presença.

E indo a ti eu aperto o passo
caminho com firme decisão
sem vacilo e nenhum cansaço

Vou dando forças ao coração
e a cada instante me refaço
levando-te, amigo, o meu abraço.

RUI - Nov/2008

AMANHECER COM ELA

Estou acordado, ainda é cedo
mas já vejo luz na janela
quero levantar mas tenho medo
de deixar de estar com ela.

Ela está aqui junto comigo
agora, nos primeiros raios de Sol
desde ontem lhe dei abrigo
debaixo do meu lençol.

Nos amamos pela noite afora
e foi pouco o que nos amamos
nos amamos ainda agora
por isso não levantamos.

Por nós, ficamos deitados
no calor do leito macio
somos seres apaixonados
no doce enlevo do cio.

Quanto mais te tenho, mais desejo
é uma tesão forte e louca
quero sempre mais um beijo
da tua molhada boca.

Mas temos que levantar
o dever ingrato nos chama
ele quer nos separar
nos tirando desta cama.

Então, um beijo de despedida
te abraço e digo até....
e tu te vais querida
voltas pra......
Até logo minha vida!

RUI - Nov/2008

UMA FLOR PRA MINHA MUSA

Voltei a sentir vontade de voar
sem vacilar fui até o asário
e comecei a experimentar
as minhas asas do mostruário.

Durante o tempo que não voei
que na casa da musa fiquei pousado
estive só de amores e engordei
e agora estou destreinado.

Coloquei umas asas enormes
por causa do excesso de peso
e em movimentos uniformes
às bati firme e coeso.

E fui acelerando
o movimento das asas
e quando vi, estava voando
muito acima das casas.

Pra minha Musa acenei
e disse-lhe:- meu amor!
para longe eu voarei
e trarei pra ti uma flor.

Uma não! a mais linda!
mais bela que um sorriso
que não se viu ainda
só tem no paraíso.

Voei no mundo encantado
com as asas do amor
procurando um lugar sagrado
onde estava essa flor.

Então, em dado instante
avistei um jardim
numa nuvem flutuante
parecia chamar por mim.

Uma Rosa Branca perfumada
a mais linda que já vi
já toda desabrochada
eu pousei e colhi.

E de volta à tua janela
suavemente eu pousei
e pra uma flor mais linda que ela
a Rosa Branca entreguei.

RUI - Nov/2008

POESIA-ORAÇÃO PELO JOVEM

Que mundo é esse que não me satisfaz
por quê, entre irmãos, tanta maldade
se é tão sublime viver a paz
por quê vagamos na insanidade?

Por quê agimos como se fôssemos loucos
bárbaros em bacanais profanos
será meu Deus, que somos tão poucos
ditos racionais e humanos?

Perdoa-me Senhor por duvidar
da tua mais perfeita criação
mas, Senhor, eu não posso aceitar
tanta falta de amor no coração.

E logo tu, meu Deus, que és amor
que nos fez assim, à tua imagem
vês, através de triste dor
ignorada, na Terra, a tua mensagem.

O que posso fazer para ajudar
o jovem indeciso que sozinho
não sabe para onde caminhar
e fica perdido na escolha de um caminho.

Orienta-me, Senhor, na encruzilhada
em que me encontro nas horas deste dia
mantém, meu Deus, minha alma inspirada
para que eu possa, pelo menos, escrever uma poesia.

E que, por ela, eu peça a ti Senhor
que a este jovem o mal não aconteça
que ele enverede pela trilha do amor
com tua mão a guiar-lhe a cabeça!

RUI - Nov/2008

VIAGEM AO PASSADO

Estive hoje no meu passado
pois eu tenho essa autonomia
sou poeta e como tal, sou dotado
de poder mágico, encantado
de realizar qualquer utopia.

E sendo assim, retornei pelo ido
parando quando me deu vontade
em momentos me senti perdido
em outros bastante desiludido
em alguns senti muita saudade.

E continuei a minha viagem
voltando ainda mais na história
vendo-me em várias imagens
como se visse miragens
registradas na minha memória.

E estupefato continuei viajando
em busca de algo que não sei
e cada vez mais retornando
ao meu passado fui voltando
que me vi num ponto que não gostei.

Eu me senti, então, sufocado
e um enorme susto levei
estava num lugar molhado
por um cordão na barriga amarrado
e num chorinho forçado
ao início do meu passado
forçadamente eu voltei.

RUI - Nov/2008

TROCA DE CORAÇÕES

Quero registrar nos versos deste poema
o que se passa em minha alma agora
para que alguém, onde estiver, possa lê-lo
e que no simples ato de fazê-lo
sinta que está comigo nessa hora.

Sei que ao ler serás ciente
que me inspiraste quando o escrevi
conduziste no papel a minha mão
presente que me estás no coração
como se, em corpo, estivesses aqui.

Eu te amei muito esta manhã
assim como ontem, hoje, como depois
é um amor forte, não é areia,
que nos envolveu na mesma teia
unindo o destino de nós dois.

Estamos juntos mesmo que separados
já adotaste meu nome juntinho ao teu
e num gesto pleno de paixão
entregaste-me, amor, o coração
que bate, agora, no lugar do meu.

E ai neste teu amado peito
pulsa agora ritmado, eu sei
também exuberante de paixão
o meu embevecido coração
que em troca do teu eu te mandei.

RUI - Nov/2008

AMOR DE AREIA

Foi efêmero o amor que exaltaste
aqui, ali, ...aos quatro cantos
morreu na primeira tempestade
assim como outros tantos...

Não era amor como dizias
uma fantasia, talvez, quem sabe fosse
mas o fato é que se fez amargo
quando afirmavas que era muito doce.

Mentiste para todos ou te enganaste
às incertezas ficaste alheia
e sobre elas, enfim, montaste
nada mais do que um amor de areia.

E sendo de areia, como um castelo
fraco era e não resistiu
ao primeiro vento da vida
caiu por terra, acabou, ...ruiu.

E, desiludida, então choraste
expondo a intimidade da alma nua
culpando o destino por tamanha dor
quando a culpa foi somente tua!

RUI - Nov/2008

ARREPENDIMENTO

Fiz a mala desordenada e, indolente
sem beijar-te, parti bem resoluto
fugi do amor, covardemente
num repente tresloucado e bruto.

Lancei-me ao mundo em procura
de ilusão tão fria e vã
numa atitude insana de loucura
abandonei-te, amor, numa manhã.

E tu, ainda sobre o leito
com a dor estampada no rosto
deixaste escapar do peito
lágrimas amargas de desgosto.

Ignorei-as partindo mesmo assim
fui embora, sem nada dizer, sisudo
dando a um grande amor um fim
tão insignificante e mudo.

Isso foi a muito tempo atrás
rolei pelo destino sempre perdido
e hoje voltei amor, em paz
e bato à tua porta, arrependido!

RUI - Nov/2008

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

ALMAS GÊMEAS

Como é bom chegar em casa
e encontrar alguém nos esperando
banho já tomado, perfumada
um sorriso nos lábios
e um olhar brilhando.
É uma satisfação renovada
a cada dia, a cada volta
dá um friozinho na barriga
e uma felicidade no peito.
Parece que a alma se solta
e encontra, por fim um jeito
de sair do seu corpo
indo ao encontro da fêmea
e enquanto os corpos se afagam
com carícias amorosas,
beija sua alma gêmea
e saem as duas abraçadas
continuando um amor eterno
que já vem de vidas passadas.

RUI - Nov/2008

SEMENTE DO AMOR

Quanta energia flui de um encontro de olhares
que se cruzam num instante qualquer
muitas vezes mudando os destinos
de um homem e de uma mulher.

Dois destinos que, então, separados
escreviam na vida duas histórias
tiveram de um grande amor, a semente
semeada nas suas memórias.

Bastou uma pequena centelha
uma ínfima fagulha que aquecida
para juntar duas existências
fazendo delas uma única vida.

Que semente é essa? quanto poder!
não existe nada que tenha mais valor
ela está num encontro de olhares
e acende a chama ardente do amor!

RUI - Nov/2008

"TERRENO MINADO"

Eu não sinto nenhuma segurança
pareço caminhar em areia movediça
já vejo pouca esperança
a ideia do fim já é premissa.

Nada acontece que se diga
nos amamos de verdade, realmente
tudo que se faz acaba em briga
num desencontro chato e permanente.

O que há são apenas vãs promessas
que em momento algum foram cumpridas
palavras apenas, ditas às pressas
que não produziram nada em nossas vidas.

Não queria que fosse assim eu juro
eu desejava somente o teu amor
mas segui por um caminho inseguro
de cobranças, de espinhos e de dor.

Minha alma parece estar perdida
num terreno falso e minado
preciso encontrar uma saída
para não sair dele mutilado.

RUI - Nov/2008

O AMOR É MESMO ASSIM...

O quê é o amor?
na verdade é um bichinho
desses de verdade
que logo dá vontade
de fazer um carinho!

É sim, isso é o amor
você olha com carinho
sente um frio no coração
e logo rola paixão
que faz crescer o "bichinho"!

E ele vem batendo asinha
nos envolve no calor
numa tal de ânsia louca
que a gente abre a boca
e por ela entra o amor!

E sempre tem reação
o amor é safadinho
ele une bem junto
e se existe "defunto"
ele volta a ser "bichinho"

É verdade, isso é o amor!
nasce de um olhar
sobrevive no desejo
se alimenta de beijo
é difícil de saciar.

O amor é muito voraz
pior que erva daninha
começa a comer na mesa
mas o bom da sobremesa
ele come na "caminha"

É, o amor é mesmo assim
é um foguinho que o Diabo atiça
começa com um olhar
na cama vai se deitar
e termina na......Suíça! (kkk)

RUI - Nov/2008

PRAIA ENCANTADA

Ontem eu estive na praia
aquela praia encantada
e tu linda, deslumbrante
num biquini estonteante
caminhavas na areia molhada.

E o mar azul, que belo
suas ondas docemente quebrava
e só para ti sorria
te envolvendo em maresia
com ela te perfumava.

E tu tão bela e faceira
corria na areia e brincava
era a mais linda imagem
e uma gaivota em tua homenagem
por cima sobrevoava.

Ah! que doçura de encanto
dessa visão tão amada
tu estavas tão linda
e muito mais ainda
naquela praia encantada!

RUI - Nov/2008

PENSANDO EM TI

Eu penso e pensando eu concluo
que não tem limite o pensamento
imagino então que eu possuo
o poder de alongar cada momento.

E se eu tenho o domínio de tal poder
eu sou feliz porque assim me faço
basta pensar e pensando querer
dar direção ao meu próprio passo.

Basta caminhar na tua direção
programando meu rumo para ti
que o pensamento conduz o coração
para a mulher mais linda que já vi.

E pensando te tenho em pensamento
fazendo de instantes longa vida
prolongando em anos um momento
que em teus braços estou querida.

O pensamento é tão extraordinário
que mesmo eu estando aqui
te incluo na solidão do meu cenário
só por estar, agora, pensando em ti.

RUI - Nov/2008

SE EU TIVESSE INSPIRAÇÃO...

Ah! quanta inspiração me falta pra falar
de tudo que por mim deveria ser dito
são coisas tão erradas que eu vejo
e denunciá-las ao mundo é meu desejo
mas ela não vem, inibe o meu escrito.

Ah! se inspirado por momentos eu fosse
se eu tivesse o dom de escrever, escreveria
sobre tudo que destrói a humanidade
do desamor, do ódio, da insanidade
com certeza, nos meus versos, eu falaria.

Ah! eu falaria sim do preconceito
da indiferença pela dor do semelhante
da miséria, da guerra, da desigualdade
que minam e destroem a sociedade
em golpes cruéis a cada instante.

Ah! se poeta eu fosse, como poucos
que inspirados sabem como poetar
se me dessem um pouco do saber
se a poesia me fosse dada a conhecer
essas coisas, em versos, eu iria denunciar.

Ah! se eu tivesse a tua inspiração
Messias que um dia veio ao mundo
e fez da palavra o poder de sedução
semeando com ela o amor no coração
mudando o destino em apenas um segundo.

Ah! se essa santa inspiração alguém me desse
quanto coisa linda eu escreveria
tentando mudar o caminho desviado
que o homem caminha tão errado
Ah! muito mais em DEUS eu falaria!

"ACONCHEGO"

Nos caminhos do sonho eu viajo
ao teu encontro apesar dos cansaços
e, ao chegar, incontinênti me jogo
ao amor que tem nos teus braços.

E neles feliz eu me afogo
recostado no teu colo quentinho
no mar dos desejos que aflora
e busco então teu carinho.

Em êxtase de amor nessa hora
entrego-me ao teu doce encanto
e me sinto por teu corpo envolvido
no aconchego quente de um manto.

E deste mundo cruel esquecido
tu és tudo que quero, que almejo
procuro a tua boca molhada
para juntar a minha, num beijo.

Então, com a alma saciada
na vida não estou mais sozinho
estou com a rainha mais linda
no aconchego feliz deste ninho!

RUI - Nov/2008

"INSTINTO CARNAL"

O prazer é bom mas não é tudo
sem sentimento não há prazer
mas sim necessidade fisiológica
inerente, na vida, a qualquer ser.

O instinto carnal é consequente
de reação química tão banal
nada mais é do que manifesto
de um desejo frio e material.

Uma busca momentãnea pelo gozo
que atingido, produz a indiferença
é um momento só e nada mais
depois só o vazio, só a descrença.

Mas se teve amor, este permanece
não é só a aplacação do desejo
os corpos continuam unidos
num último e carinhoso beijo.

E isso só acontece a dois
sob o testemunho de paredes
onde seres, de amor e sexo
saciam suas latentes sedes.

Ato que também é humano
que é gostoso até mesmo depois
mas é compulsivo e promiscuoso
quando é feito por "mais de dois"

RUI - Nov/2008

MULHER FACEIRA

Foi assim que a vi, de branco, linda
a desfilar num mundo que é só dela
não vi nesta minha vida, ainda
nada tão belo que se compare a ela.

Ela é fonte nascente de beleza
que desperta ao seu redor inveja
ao vê-la se tem a certeza
de toda a graça que ela enseja.

Parece uma Deusa Rainha que permite
ao mortal, pecaminoso olhar
e do seu reino a tudo isso assiste
garbosa, indiferente, sem se importar.

Ela é tudo que um homem quer
e almeja ter pela vida inteira
ela é doce, bela, ela é mulher
ela é soberana, ela é faceira!

RUI - Nov/2008

"PRÊMIO FINAL"

A vida de cada um é uma história complicada
aliás, não tem nada de simples nesta vida
se fizéssemos de cada dia uma cena gravada
teríamos, na média, uma novela chata e comprida.

Pensando bem, é um mar de problemas a resolver
e um pequeno córrego são as satisfações
tem muito mais dissabores que nos fazem sofrer
do que momentos doces com boas sensações.

É uma gama de "picuínhas" nos nossos dias
batendo à porta da existência a cada momento
que são muito maiores que as alegrias
transformando instantes de prazer em sofrimento.

É, a vida não se compara a nenhum veraneio
estamos jogados aqui à nossa própria sorte
sobreviver a todo o custo, buscamos um meio
e por prêmio final temos a morte.

CONVERSA COM O "EU LÍRICO":
Eu Comum:- Por quê escrever uma "droga" dessas?

Eu lírico:- Hoje eu acordei de "saco cheio"!

Eu comum:- Então fica calado, não escreve nada!

Eu lírico:- Se "liga" meu!, só quer saber de voar, sonhar, amar, "essas coisas", etc...,às vezes tem que falar de realidade!

Eu comum:- ( Silêncio )

RUI - Nov/2008

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

"INDAGAÇÃO"

Esperei-te ansiosamente no meu sonho
imaginando-te de branco e reluzente
assim como sempre eu me proponho
a buscar-te em sonho tão somente.
E na trilha que deixa o teu perfume
eu te sigo pela noite no meu sono
iluminado pelo brilho do teu lume
eu fujo da solidão deste abandono.
Só tu me trazes algum conforto
quando aqui, sozinho, estou dormindo
espero-te como um navio, espera o porto
aparecer no meu sonho, assim sorrindo.
Santa criatura és, pois tal candura
Deus só dá, por certo, a quem é santo
ou então és uma Deusa que sendo pura
se tornou mulher e eu amo tanto.
Por quê será meu Deus que tanto a quero
povoando este meu mundo de ilusão
por quê Senhor, na noite eu lhe espero
para entregar-lhe, em sonho, o coração?

RUI - Out/2008

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

ESTRELA MAIOR

Ontem estive com as estrelas
Sentei-me no brilho de uma delas
e fiquei por ali a vê-las
encantado a conversar com elas.
Falei-lhes de tudo o que sentia
quando, à noite, as via em profusão
brilhando num céu que contagia
com a magia criativa da inspiração.
Disse-lhes do quanto as admiro
do deslumbre de quando as vejo
e entre elas em suave giro
as abraço carinhoso e beijo.
Falei-lhes aqui da nossa Terra
das belezas, também das sequelas
de um amor que meu peito encerra
por uma estrela ainda maior que elas.
E uma estrela enciumada então falou
em ondas de perfume e de calor:
-Não há no Universo que Deus criou
estrela tão grande quanto o amor!

RUI - Out/2008

A HISTÓRIA DO "BIBI"

É um caso meio estranho
esse que falo agora aqui
inicío com uma pergunta:
-Você conhece o "Bibi"?
Não! então nem precisa
pois eu vou mesmo contar
sobre o tal de "Bibi"
eu tô aqui pra falar.
Então vou começar
fazendo a apresentação
dessa coisinha verde
que nasce fácil do chão.
E dizendo, já disse
"Bibi" é uma plantinha
que infesta o canteiro
feito erva daninha.
É um capim insistente
se capina e não adianta
no outro dia ele tá lá
que "saco" essa planta!
Mas descobri seu segredo
da renovação rapidinha
não é que o safadona
nasce de uma batatinha!
Pois é, é isso ai
é escura a danadinha
fica lá no fundo da terra
e logo bota a "linguinha"
Comigo acontece assim
no jardim que fiz aqui
no meio das minhas flores
tem um monte de "Bibi".
A essa tal de sementinha
é difícil de dar fim
qualquer raio de luz
e lá vem o capim.
Mesmo que concretada
bem abaixo no chão
se quebrar o concreto
lá vem ele com tesão.
Pra terminar só tem um jeito
é arrancando a safada
botando fogo nela
e matando a desgraçada.
Assim é o tal de "Bibi"
e por analogia
também é um amor
que me causou muita agonia.
É não! porque já foi
já não me causa sofrimento
como fiz com o "Bibi"
acabei com meu tormento.
Cavuquei meu coração
com uma pequena pázinha
fui bem lá no fundo
e arranquei a batatinha.
E ele seguiu batendo
feito guria "assanhada"
bastou ver uma "Bibi"
para dar uma "olhada"
Tá batendo diferente
fui ver, já tem "linguinha"
o danado tá outra vez
com nova "batatinha".
Essa eu não conheço
veio de modo diferente
vou manter essa "Bibi"
cultivando sua semente.

F I M

RUI - Out/2008

LAÇOS DE AMOR

Acontecem na vida fatos inusitados
difíceis da nossa razão aceitar
mas eles estão ai, bem marcados
para ver, basta apenas observar.
Parar um pouco para pensar
em tudo que nos acontece
é uma maneira de constatar
que nem tudo é como parece.
O que transparece felicidade
às vezes não passa de ilusão
nas sombras se esconde a verdade
da amargura de um coração.
Nem sempre nos lábios um sorriso
quer dizer ausência de dor
só entraremos no paraíso
amarrados aos laços do amor!

RUI - Out/2008

"PRISÃO"

Por grilhões no tempo forjado
sestou preso nos confins da vida
foram a ferro e fogo moldados
para prender minha alma sofrida.
Desta minha amarga prisão
assisto ao desfile do mundo
vejo a morte da minha ilusão
se tornar vida a cada segundo.
Sinto-me amarrado ao nada
vendo à minha frente o tudo
mas a porta está trancada
separando-me da vida,...contudo.
Sou um pássaro na gaiola
que chora a tristeza e canta
a dor desse nó que assola
e sufoca a minha garganta.
Quem desatará tão firme nó
separando de mim este grilhão
quem não me deixará mais só
na cela fria desta prisão?

RUI - Out/2008

"LENÇOL MOLHADO"

Quanto vazio em cada noite
que na vida passo, sem sentido
querendo que quebrem este espelho
onde me vejo alquebrado, ...refletido.
Quanto giros na cama da amargura
quantos pedidos negados, à "cabeceira"
quantos sonhos inutilmente sonhados
em cada noite, pela vida inteira.
É na noite que o monstro da carência
assombra minhas horas sem pesar
quando sinto que o algoz da minha vida
mais uma vez virá me atormentar.
E no agito que vivo a cada instante
abafado por um lençol molhado
pelo suor acre de uma solidão
que me deixa, na saudade, sufocado.
Cada anoitecer é uma esperança
de um acordar com outro Sol
com uma mão segurando a minha mão
por baixo do "seco" de um lençol.
RUI - Out/2008

"SINTONIA"

As rêmiges das minhas asas ditaram a direção
fechei meus olhos e por instantes amenos
planei por exóticos recantos da ilusão
prelibando, porém, prazeres bem terrenos.
E voando neste vôo bem curtinho
ardeu-me o intenso calor da chama
que senti, sentindo o teu carinho
sem sair aqui da minha cama.
Para mim não importa a tua ausência
nem a distância imensa me importa
imagino-me em ti, numa frequência
que nos une num só e me conforta.
E confortado neste sonho que sonhei
com minhas asas pelo mundo da imaginação
eu sinto meu amor que hoje voei
ao teu encontro, sem sair do chão!

RUI - Out/2008

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

"O POETA VOADOR"

Começa aqui a história
do poeta que voava
que ia até o arrebol
e, por lá, planava.

Ele era destemido
pegava raio de Sol
e com ele se cobria
usando como lençol.

Voava muito alto
levando uma faixa atrás
com letras grandes escrita
uma mensagem de paz.

Pra que ele tenha nome
será o "Poeta Voador"
aquele que voando
pregou paz e amor.

A paz para o mundo
para o coração o amor
para quem sofre, alegria
do fim da sua dor.

E por ai, voando
numa vida gaudéria
o poeta pediu a Deus
a extinção da miséria.

O Poeta Voador
voava no Universo
buscava uma estrela
e colocava no verso.

Batia asas no infinito
ia de norte a sul
o seu único limite
era todo o céu azul.

O Poeta Voador
voava na utopia
planava com suas asas
nos braços da poesia.

Seu verso era alegria
versejava à vida
poetava com gosto
à sua musa querida.

Que ele encontrou voando
num vôo de quimera
numa manhã florida
de um dia de Primavera.

Ele a viu lá do alto
e feito águia desceu
e na frente da musa
o poeta apareceu.

Fechou suas asas
e, pra ela, se declarou
ficou ali pousado
e nunca mais voou.

É essa a curta história
do Poeta Voador
que hoje, já sem asas
só quer voar no amor!

F I M

RUI - Out/2008

"A CABECEIRA DA CAMA"

Ninguém se refere a ela com a importância
que lhe é devida quando a cama é mencionada
mas é ela que assiste os devaneios
ouve tudo que é dito sem rodeios
mas é "muda", é "surda", não diz nada.

Tem poeta que verseja o travesseiro
outros a bela colcha de cetim
até os que poetizam o colchão,
mas nenhum dá a merecida atenção
falar da cabeceira da cama, coube a mim.

É nela que se esfregam as cabeças
nos delírios inexplicáveis do amor
quando os travesseiros são dispensados
a colcha e o colchão ignorados
a cabeceira fica ali, sempre na mesma posição.

Se ela falasse, por Deus!, o que diria!
de quantas "peças" censuradas já foi cenário
quantas palavras "calientes" já foram ditas
ao seu costado e que malditas
fogem ao raciocínio vago do imaginário.

A cabeceira da cama é testemunha
das juras de amor que nós trocamos
foi perante ela que nós dois
nos consumimos na luxúria e depois
repetimos tudo e nos amamos.

RUI - Out/2008