terça-feira, 7 de julho de 2009

MAGIA VIRTUAL


Bom dia rosa mimosa
ai atrás deste teclado
parece que estou te vendo
teclando do outro lado
embora a tecla seja fria
eu sinto a energia
do teu toque apaixonado.

Em cada palavra que sai
e aparece na telinha
sinto tocar-te a mão
com o carinho que a minha
no toque sente desejo
de dar-te um longo beijo
minha querida fadinha.

Quando teclo e falo amor
não falo só teclando
é como estar contigo
pessoalmente falando
dizendo querida flor
vem buscar este amor
que estou acumulando.

Ele é imenso e sincero
o universo ultrapassou
de tanta intensidade
e tu nada ainda levou
deste doce sentimento
que agora, neste momento
no meu peito transbordou.

Ultrapassou os limites
inundando o meu peito
sem encontrar resistência
pois amada não tem jeito
tento acalmar a paixão
dominando meu coração
mas nada surte efeito.

Eu preciso mesmo é de ti
pra vencer este tédio
tristonho por tua ausência
sofro da saudade o assédio
fico me engambelando
contigo eu vou teclando
tu é meu doce remédio.

Assim é minha rotina
nas horas do dia-a-dia
fico escrevendo versos
bem rimados na poesia
e depois eles são escritos
obedecendo os mesmos ritos
batidos na tecla fria.

É assim que falo contigo
sem sentir o teu calor
olhando pro teu retrato
na tela do monitor
o meu desejo fica quente
e me torno inconsequente
chegando até fazer amor.

Mas nada disso é real
nem me toma por inteiro
eu te quero mas todinha
em pensar fico faceiro
quero sentir tua chama
incendiar a minha cama
perfumada com teu cheiro.

Não aguento mais esperar
a doce concretização
do amor que pede passagem
para sair desta ilusão
preso num mundo gelado
das teclas de um teclado
quando é real no coração.

A minha vontade é tanta
que vai se dar a magia
eu vou surgir-te na frente
pra nossa grande alegria
saído da tua telinha
quando estiveres sozinha
relendo esta poesia.

Rui E L Tavares

(05/07/2009)

Um comentário:

Martha disse...

Lindo demais... Seu talento e inspiração conseguiu traduzir os mais sutis sentimentos diante de um rosto distante...quantas vezes sentimos tudo isso,mas a mudez sufoca os sentimentos que o querido poeta traduziu.Obrigada... Martha